O que é a glória? Na terra como no céu

                           O QUE É A GLÓRIA? NA TERRA COMO NO CÉU

“Eles servem num santuário que é figura e sombra das coisas celestiais. É por isso que Moisés foi divinamente avisado, quando estava para construir o tabernáculo: Vê que faças tudo conforme o modelo que te foi mostrado no monte” (Hb 8:5)

     É sem dúvida mais cômodo, pensar que Glória é um lugar para onde vamos depois de morrermos, de preferência bem velhos. Já tendo aproveitado tudo o que esse mundo nos ofereceu, e não tendo mais como usufruir dele, “iremos para a glória”, onde gozaremos das mais lindas e tremendas experiências que nos permitam continuar felizes. Ou, ainda, que existem mansões celestiais reservadas para cada um de nós lá. Alguns com casas grandes devido às suas “boas obras” realizadas aqui na terra, e outros com casas menores, afinal, não fizeram tanto quanto deviam ter feito, ou não foram tão bons quanto os primeiros. Mas quem se importa, se todos, uma vez tendo aceitado a Jesus, estão no céu!  Muitos chamariam isso de galardão ou recompensa. Parece estranho, mas infelizmente, é exatamente isso que uma grande maioria de nós, igreja, pensa. O que isso tem de verdade? Qual o amparo bíblico para tal pensamento? Eu digo: Nenhum! Não há um único versículo da Bíblia que ensine isso. galardão não é o prêmio que vamos ganhar, e sim, a glória que vamos ter. Sermos semelhantes a Ele. Como sacerdotes no Seu reino, não temos a geografia como galardão: Nosso galardão é o Senhor.

     O que a Palavra de Deus nos ensina, não são mansões para nós NOS céus, mas uma ÚNICA Casa, o verdadeiro tabernáculo de Deus, não feito por mãos humanas, que a bíblia chama de Cidade Santa, Esposa do Cordeiro, Nova Jerusalém, que desce exatamente DOS céus: “Vi também a Cidade Santa, a Nova Jerusalém, que descia do céu, ataviada como uma noiva para o seu noivo” (Ap 21:2).

     Este é o modelo celestial visto por Moisés e estabelecido em figura na terra, com o intuito de ser habitação de Deus. Que a terra espelhe a realidade do Céu. Que Venha o Teu Reino e que seja feita a Tua vontade na terra, como é feita no céu. Nós somos participantes, como pedras vivas, unidos a Cristo, a Pedra Viva Principal, desta Cidade que descerá do céu. Pedras moldadas, submetidas ao trabalhar do Construtor.

     A verdade nua e crua, é que muitos pensam que irão para o céu e habitarão nas “mansões”, pois o entendem como uma geografia, e buscam acima de tudo o seu próprio bem estar; enquanto um verdadeiro filho sabe que o céu já é real para ele (Ef 1:3; Ef 2:6; Ef 3:10; Ef 6:12; Hb 12:22-24), pois o vemos como uma dimensão. Quem ama a terra, jamais pode acessar o céu. Jesus, enquanto homem, como Filho, nunca se separou do céu: “Se vos falei de coisas terrenas e não crestes, como crereis, se vos falar das coisas celestiais? Ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu – O Filho do Homem que está no céu” (Jo 3:12-13).

     Não nos assustemos: Não estamos subindo no futuro para o céu, na verdade, estamos sendo edificados, agora, sobre o monte de Deus, por enquanto, de maneira escondida aos olhos de homens naturais, para que então, desçamos, para que assim, seja manifestada aos olhos de todas as nações dessa terra, a Cidade edificada cheia da glória de Deus. É impossível esconder uma cidade edificada sobre um monte! O que Moisés viu foi o trabalho completo, terminado. A glória dos céus, manifestada na Cidade, em nós Sua Esposa, corpos glorificados unidos a Cristo, que servirão de luz para todas as nações da terra. Uma Esposa com a exata imagem do Esposo. Que não foi para a glória e sim está vestida da glória! 

“Nela não vi templo, porque o templo é o Senhor Deus, Todo-Poderoso, e o Cordeiro. A cidade não necessita nem de sol, nem de lua, para que nela resplandeçam, pois a glória de Deus a ilumina, e o Cordeiro é a sua lâmpada. As nações andarão à sua luz, e os reis da terra, trarão para ela a sua glória e honra. As suas portas não se fecharão de dia, e noite ali, não haverá. E a ela trarão a glória e a honra das nações” (Ap 21:22-26)

Pr Marcos Reis