Unidade - Sentido e Objetivo

                           UNIDADE - SENTIDO E OBJETIVO 

“Rogo-vos, porém irmãos, pelo nome do Senhor Jesus Cristo, que digais todos a mesma coisa, e que não haja entre vós divisões, para que sejais unidos no mesmo sentido e no mesmo parecer”. (I Co 1:10)

     O Apóstolo Paulo escreve à igreja de Corinto, uma cidade grega muito importante. Corinto ficava próximo de Atenas que era a capital intelectual do mundo. Corinto era também, estrategicamente, uma cidade muito importante por concentrar nela uma população de várias nações, uma cidade cosmopolita, onde o evangelho poderia se espalhar para todo o mundo. Há uma característica muito marcante nesta igreja: Era uma igreja que atuava com dons espirituais tremendos; mas também era uma igreja que apresentava sinais de divisão. Essa constatação nos faz pensar; como isso pode ser possível? Definitivamente o sentido e o objetivo da igreja, como um todo, precisava ser alinhado.

     Como conhecedores dos tempos e entendendo o que o Senhor está querendo para os nossos dias, nos alegramos com a obra que Deus está fazendo de forma individual na vida de muitos. Temos visto jovens e até crianças sendo visitados de uma forma maravilhosa com experiências sobrenaturais do Espírito. Pais têm tomado posições na retomada do sacerdócio e têm se levantado com autoridade sobre os da sua casa. Deus está trabalhando naqueles que têm se submetido ao seu tratamento.

     A igreja de Corinto era uma igreja com marcas de divisão. Uns diziam, eu sou Paulo; outros de Apolo; outros de Pedro e havia até os que diziam “eu sou de Cristo”. Numa primeira análise, podemos até pensar que estes últimos seriam os certos, mas não! Se tivessem dito NÓS SOMOS de Cristo, teriam acertados, mas nunca EU SOU de Cristo. Deus não está onde o trabalho está focado na individualidade. Pode até haver alguns sinais na individualidade, mas definitivamente só haverá a aprovação de Deus quando for estabelecido o ambiente da unidade. Foi Jesus quem disse: “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estarei presente”. A unidade é um atributo obrigatório para a manifestação da presença de Deus. Se queremos entender o que Deus está fazendo nesse tempo, precisamos entender o poder da unidade. “As pedras do santuário estão espalhadas pelas esquinas de todas as ruas” (Lm 4:1), foi a visão de Jeremias de uma Jerusalém destruída. A restauração da casa, da imagem da glória de Deus, passa, obrigatoriamente, pelo ajuntamento das pedras. “Não sabeis que VÓS sois santuário de Deus e que o Espírito habita em VÓS. Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; pois o santuário de Deus que sois VÓS, é sagrado” (I Co 3:16-17). Não devemos nunca deixar de observar o pronome VÓS. O "eu" dá lugar ao "nós". O negar-se a "si mesmo" inaugura uma nova realidade de glória.

     A unidade nesse texto aponta para convergência de sentido e parecer. Paulo fala para que os irmãos pudessem dizer a mesma coisa, sentir a mesma coisa e ter a mesma visão do propósito, mesmo como suas diferentes características individuais. E o propósito é único: crescermos em tudo, naquele que é o cabeça, a pedra principal desse santuário, Cristo, “do qual todo o corpo bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor” (Ef 4:16). Todos ligados em interdependência, com a operação das diferenças, levando o ajustado crescimento do "todo". O templo antigo foi destruído e o Senhor Jesus levanta um novo a partir dele. Somente a realidade da unidade pode gerar o crescimento. Não há vários templos, mas UM SÓ templo, onde Ele é a pedra principal e nós, juntos, somos ajustados nele para habitação e agrado do Pai. Ninguém precisa “jogar fora” seus talentos individuais; ou se privar de ser "originais e autênticos”, mas temos que deixar de viver pelos nossos próprios propósitos, objetivos e até mesmo “ministérios” que, se forem marcados pela individualidade, jamais alcançarão a aprovação de Deus, mesmo quando feitos de forma aparentemente piedosa, sincera e carregados de boas intenções. Deixemos a “carreira solo” e ouçamos o que o céu tem como prioridade. A unidade. 

     Unidade não é deixar de ser quem Deus fez exatamente da forma que Ele quis fazer. Somos feitos por Deus diferentes uns dos outros, mas a perfeição vem através da unidade. Somente a unidade pode fazer com que a nossa singularidade e diversidade seja perfeita aos olhos de Deus. O sábio diz que há o tempo de derrubar e tempo de edificar; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras (Ec 3:3,5). Entender o tempo de edificar; de ajuntar pedras; é estabelecer a realidade do celestial na nossa realidade. Essa é a mensagem que sairá da Igreja para todas as cantos do mundo. "Que todos sejam um, como tu ó Pai, o és em mim, e eu em ti. Que eles também sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste" (Jo 17:21). Que a nossa unidade traga o conhecimento da glória de Cristo a todas as nações da terra! Deus abençoe!

Pr Marcos Reis