Família - Somos seus filhos

                                             FAMÍLIA – SOMOS SEUS FILHOS

"Mas a todos quanto o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” (Jo 1:12)

     Nós estamos falando sobre a expressão física da revelação do reino de Deus dentro das nossas famílias, que é manifestada de uma forma muito poderosa. A família é uma expressão maravilhosa desse reino eterno. Falamos sobre pais e mães serem uma figura tremenda da realidade de Deus, o nosso Pai Eterno. O cuidado, a provisão, o amor incondicional, a proteção; tantas coisas com as quais fomos e somos cercados por eles. Já os filhos, se viverem dentro desse modelo estabelecido por Deus, terão em suas vidas, características de submissão, obediência, ausência de ansiedade e impaciência, confiança e tantos outros atributos que os farão crescer num ambiente e atmosfera segura e tranquila, pois sabem que os pais estão, acima, cuidando de tudo.

     Vejo pelos meus filhos, incluindo, é claro, o que está no ventre: Não há nenhuma preocupação com comida, bebida, roupas, proteção, cuidado, direção, nada, por quê? Porque sabem que os pais têm esta função nesta terra. Simplesmente descansam e confiam. À medida que crescerem, vão aprendendo a responsabilidade, sempre dentro deste cenário de confiança e descanso, até constituírem família, então, começarão a exercer o ministério do cuidado dos seus filhos, à exata medida que foram cuidados e ensinados; o ciclo se reiniciará e, logo, entenderão que, assim como foram cuidados por seus pais, existe um Pai celestial que cuidará para sempre deles os capacitando a ministrar aos seus filhos. Entendemos agora o motivo pelo qual o inimigo quer tanto denegrir a família e os papéis que dentro dela são representados.

     "Das crianças é o reino dos céus”. Quando crianças, nossa preocupação é nada e nossa confiança nos pais é tudo. Preste atenção nas orações feitas por crianças: Nunca pedem nada para elas, sempre para os outros e sobretudo agradecendo. Não pedem nada para elas porque sabem que, nos pais, elas já tem tudo o que precisam, basta só "esticar a mão e pegar". Por que, à medida que vamos crescendo, vamos perdendo essa confiança e dependência, dando lugar às ansiedades, preocupações e medos? Por que não confiamos e dependemos integralmente do nosso Pai Celestial, assim como fazíamos quando éramos pequeninos, com nos nossos pais terrenos? Seríamos nós, pais terrenos, melhores e mais cuidadosos que o nosso Pai Eterno? Definitivamente não! A figura nunca é maior que a realidade que ele expressa. Penso que por causa disso, o reino dos céus é dos pequeninos e se não nos tornamos como eles, não poderemos entrar.

     Entrar no reino é voltar à dependência total do nosso Pai. Imagine que dor para um pai ou uma mãe, se seu filho pequeno estivesse triste, preocupado ou ansioso num canto e, quando fosse questionado pelos pais sobre o motivo da tristeza, preocupação e ansiedade, ele respondesse que está pensando com o que vai comer, beber, vestir ou se proteger, amanhã, e que não sabe o que lhe reserva o futuro. Como nos sentiríamos se nossos filhos nos respondessem desse jeito? Creio que não é necessário responder. Se nós, sendo maus sabemos cuidar dos nossos filhos, quanto mais o Pai Celestial!

     Ansiedade, preocupações, tristeza, medo, angústia; todas essas coisas são frutos do não entendimento, como pequeninos, da paternidade de Deus sobre as nossas vidas. Somos seus filhos; Ele é o nosso Pai; jamais teremos necessidade de absolutamente nada.

     Nesta terra somos apenas figuras de uma realidade infinitamente superior e completa.

     Deus nos abençoe!

Pr Marcos Reis