Ester - Israel e o Reino - Eunucos e Príncipes

                       ESTER – ISRAEL E O REINO – EUNUCOS E PRÍNCIPES

Então perguntou o rei aos sábios que entendiam dos tempos, porque assim se tratavam os negócios do rei, na presença de todos os que sabiam a lei e o direito. E os mais chegados a ele eram: Carsena, Setar, Admata, Tarsis, Meres, Marsena e Meumucã, os sete príncipes dos persas e dos medos, que viam o rosto do rei e ocupavam os primeiros assentos no reino. O que se deve fazer, segundo a lei, à rainha Vasti? Ela não cumpriu a ordem do rei Assuero, dada por intermédio dos eunucos (Et 1:13,15)

     Sabemos que Vasti, a rainha, não obedece ao chamado para ser apresentar diante da face do rei. Era propósito do rei, depois de ter mostrado as riquezas do seu reino e o esplendor da glória da sua majestade, terminar a festa mostrando a todos, o ápice da sua glória: Sua Esposa! Temos aqui uma figura interessante. Israel foi concebido para ser um reino sacerdotal, através do qual, o Senhor seria glorificado em toda a terra. “Vistes o que fiz aos egípcios, como vos levei sobre as asas de águias, e vos trouxe a mim. Agora, SE diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis a minha propriedade peculiar entre todos os povos. Embora toda a terra seja minha, vós me sereis reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel” (Ex 19:4-6). Era predestinado a ser um reino sacerdotal. Embora em asas de águia Deus os livrou do Egito, a realização do propósito era condicional à obediência. Não havia “SE” para sair do Egito, entretanto havia um “SE” para entrar no reino: Ouvir sua voz, guardar sua aliança. Vasti já era rainha, já tinha a coroa, porém não ouviu a voz do rei, não guardou a aliança, por isso perdeu o reino. Israel é, e sempre será o povo escolhido por Deus, mas não tem mais a condição de esposa, do reino. “Portanto, eu vos digo, que o Reino de Deus lhes será tirado, e será entregue a um povo que produza os seus frutos” (Mt 21:43).

     O Reino tinha sete eunucos que cuidavam da rainha; era função deles, prepará-la para que a mesma estivesse linda e então pudesse ser introduzida à presença do rei. Eunucos são aqueles que não podem se relacionar com a Esposa. Cuidam da Esposa, mas sabem que não podem usufruir dela. São chamados para o trabalho de edificação da Igreja! Aqui há pelo menos dois graves avisos. Primeiro: Um eunuco nunca irá se aproveitar da sua função para buscar o seu próprio prazer. Ele sabe que a Esposa não é dele, sabe que a rainha é do Rei.  E segundo: A voz de um eunuco reflete a voz do Rei para a Sua rainha. Sete eunucos, simbolizam a perfeição. A perfeita vontade do Rei para a rainha. Não foi o Rei que falou diretamente à rainha. Ele mandou eunucos, homens fieis que tinham a função de trazer ainda mais beleza àquela que já tinha uma beleza incomum.

     Vasti não ouviu a voz dos sete eunucos, então foi julgada, justamente, por sete príncipes. Essa história reflete de uma forma histórica, a vida de Israel, e profeticamente, pode, perfeitamente, tipificar também a realidade da Igreja hoje. Assim como Israel, estamos sendo chamados ao tratamento dos eunucos, atender à voz de Deus através de homens e mulheres escolhidas para esse fim. É muito fácil saber se alguém de fato é preparado por Deus para ser um instrumento na edificação da Esposa: Veja se o seu foco é o trabalho da edificação visando levar a Esposa ao Esposo, A Igreja a Cristo. Um verdadeiro ministro de Deus não visa prazer com a Esposa, mas sabe que sua função é levá-la, ao Esposo.

     Que possamos entender que estamos sendo chamados a presença do rei. Deus está levantando pessoas por todo o lado para reverberar o chamado para a rainha se apresentar ao rei. Muitos não estão ouvindo a voz deles. A Bíblia é extremamente clara: Pode-se fugir da voz dos eunucos, mas não se poderá fugir da voz dos príncipes. A misericórdia foi dada pelo Rei através dos eunucos; o juízo é dado através dos príncipes. Igualmente sete príncipes: Perfeição em juízo, assim como é perfeito em misericórdia. “Que Vasti não entre jamais na presença do rei Assuero. E também o rei dê o reino dela a outra que seja melhor que ela” (Et 1:19b). Deus nos abençoe! 

Pr Marcos Reis