Ester - Israel e o Reino - A Festa do Purim

           ESTER – ISRAEL E O REINO – A FESTA DO PURIM

“No décimo segundo mês, que é o mês de adar, no dia treze do mês em que a palavra do rei e o seu edito deveriam ser executados, no dia em que os inimigos dos judeus esperavam assenhorar-se deles, aconteceu o contrário, pois foram os judeus que se assenhoraram dos que os odiavam”. (Et 9:1)

     O ódio de Hamã pelos judeus era tamanho, que, com muita astúcia, conseguiu que o rei decretasse a destruição do povo judeu da sua época. Lançaram “pur”, que quer dizer sorte, para saber qual o dia em que o povo de Israel seria destruído. A sorte caiu no dia 13 de adar. O anel do rei selou a ordem e o decreto não mais poderia ser revogado. Uma vez decretada a derrota iminente dos judeus, Hamã e o rei “sentaram a beber”, enquanto toda a cidade de Susã ficou atônita (Et 3:15). Havia um dia marcado por sorte para a destruição total de todos os judeus! Essa sorte seria mudada. O dia marcado para a derrota total de Israel foi exatamente o dia da sua gloriosa vitória. O lamento foi transformado em festa! A festa do Purim é comemorada até o dia de hoje em Israel. A próxima comemoração será dia 24 e 25 de março de 2016!

     Destruir Israel é simplesmente tornar Deus mentiroso. A aliança com Israel é eterna! O ódio a Israel não deve ser visto como um ódio somente a uma determinada nação que tem os seus erros e acertos como qualquer outra nação nesta terra. O ódio a Israel deve ser visto como um ódio ao próprio Deus e ao Seu Filho. Jesus prometeu voltar e reinar fisicamente de Jerusalém: “Nos últimos dias se firmará o monte do templo do Senhor, no cume dos montes e se engrandecerá por cima dos outeiros, concorrerão a ele todas as nações. Virão muitos povos e dirão: Vinde, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacó. Ele nos ensinará o que concerne os seus caminhos, para que andemos nas suas veredas. De Sião sairá a lei, de Jerusalém a palavra do Senhor” (Is 2:2-3). “Naquele dia, estarão os seus pés sobre o Monte das Oliveiras, que está a leste de Jerusalém, para o oriente...” (Zc 14:4). Há uma promessa do reino manifesto do Senhor, a partir de Jerusalém. Destruir Jerusalém, acabar com Israel, como por exemplo temos ouvido atualmente o Irã dizer, é tornar Deus mentiroso. Não há volta de Cristo sem Israel. Não há manifestação física do reino sem Israel. Israel NUNCA será destruído. Se você não crê em Deus, eis aí uma prova absoluta de que a Bíblia é a Palavra de Deus e que Deus é o Deus de Israel! Muitas guerras ao longo de dois mil anos e o que vemos é a promessa de Deus, a cada dia, se cumprir! “Assim diz o Senhor que dá o sol para a luz do dia e as leis fixas da lua e das estrelas para luz da noite, que fende o mar e faz bramar as suas ondas; o Senhor dos Exércitos é o seu nome. Somente se estes decretos desaparecerem de diante de mim, diz o Senhor, deixará a descendência de Israel de ser uma nação em minha presença. Assim diz o Senhor: Somente se puderem ser medidos os céus lá em cima, e sondados os fundamentos da terra, lá embaixo, eu rejeitarei toda a descendência de Israel, por tudo o que fizeram diz o Senhor” (Jr 31:35-37).

     O Senhor trará todas as nações contra Israel para manifestar a sua glória a vista de todos, e esse dia está muito próximo: “Naqueles dias e naquele tempo, quando eu restaurar a sorte de Judá e Jerusalém, congregarei todas as nações e as farei descer ao vale de Josafá. Ali com elas entrarei em juízo por causa do meu povo e da minha herança, Israel, a quem espalharam entre as nações repartindo a minha terra. Lançaram sortes sobre o meu povo e deram um menino em troca de uma meretriz; venderam uma menina por vinho, para beberem” (Jl 3:1-3). Vivemos no tempo em que Israel, depois de espalhado por todas as nações, foi restaurado a sua própria terra, em 1948. A Bíblia diz que nesse mesmo tempo, nesses dias, Deus entraria em juízo com as nações. O Rei Jesus está voltando para estabelecer fisicamente o seu reino, onde todos os joelhos se dobrarão diante dele e toda língua confessará que Ele é o Cristo!  

     O que aconteceu no livro de Ester é uma figura daquilo que irá acontecer num futuro muito próximo como diz o profeta Joel: Lançaram sortes e comemoraram bebendo vinho! Porém o que temos certeza, é que o dia marcado para a derrota, será exatamente o mesmo dia da vitória, onde Israel será livre e o Messias glorificado em toda a terra! Venha o Teu Reino Senhor!

     O decreto do rei jamais poderia ser revogado, pois foi selado com o seu anel, entretanto, por causa de Ester, a rainha, que intercedeu diante do rei, um novo decreto foi estabelecido. Ester é a Esposa; é aquela que já habita no reino junto ao Rei. Uma igreja que reina já em realidade com Cristo e entende a manifestação futura desse reino visível sobre toda a terra, com a restauração de Israel e a glória de Deus sendo conhecida a todas as nações. “Pois a terra se encherá do conhecimento da glória do Senhor, como as águas cobrem o mar” (Hc 2:14). Definitivamente, uma igreja no reino, não pode esquecer Israel. A palavra Israel é mencionada na bíblia mais de 2.500 vezes; a palavra Jerusalém é citada 811 vezes na Palavra de Deus; a expressão “Deus de Israel” está presente 203 vezes na Bíblia; 70% das páginas da Bíblia contém menções a Israel! Deus é o Deus de Israel! E a verdadeira igreja de Cristo, que reina com Ele, sabe disso. O cumprimento das profecias a respeito de Israel prova para a igreja e Israel e provará para todas as nações da terra, que Deus existe, que é o Deus sobre todos os deuses e é o Rei sobre todos os reis de toda a terra!

     Atualmente existe um antissemitismo crescente no mundo. As nações se voltam contra Israel todos os dias, e infelizmente muitos, que se dizem cristãos, têm tido postura semelhante. Muito em breve, fisicamente, as nações se levantarão contra Israel. Serão congregados até Jerusalém para intentarem executar o decreto do deus deste século, porém, o que veremos é o Senhor sendo glorificado à vista de todos! Israel sairá vencedor e Jesus será glorificado diante de todas as nações da terra! E então, se inaugurará um tempo de repouso, banquetes e alegria, onde tristeza se transformará em gozo e o luto em dias de festa! “Os judeus, porém, que se achavam em Susã, ajuntaram-se nos dias treze a catorze e então repousaram no dia quinze, e o fizeram dia de banquete e alegria” (Et 9:18). Essa é a festa do Purim! Venha o teu reino! Oremos por Israel. Deus nos abençoe!

Pr Marcos Reis