Separando terra e o ouro-Os Menores-5Ministérios

       SEPARANDO A TERRA E O OURO – OS 5 MINISTÉRIOS - OS MENORES

“E ele mesmo deu, uns para apóstolos e outros para profetas, e outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados ao redor por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia, induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo, do qual todo o corpo bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o seu próprio aumento, para a edificação de si mesmo em amor” (Ef 4:11-16)

     Ministérios são um presente de Jesus à igreja para um propósito, a saber, a maturidade, alcançarmos a estatura de Cristo. Ministros trabalham na edificação de vidas, para que estas vidas desempenhem, igualmente, o ministério, e, assim, possam ser capazes de edificar outros. É o corpo, em movimento constante de crescimento, através dos ministérios. Uma igreja sem a operação dos ministérios não consegue crescer de maneira correta. Cada cristão deveria entender que foi alcançado pela graça de Deus com o propósito de ser um ministro maduro que vai auxiliar outros a também serem alcançados e edificados. Sem dúvida alguma o evangelho não deveria ser encarado como um bem dado a nós que não nos exigisse uma resposta. Que tenhamos o entendimento de que fomos chamados; e que Deus usou, e ainda usa, ministros para levar, aqueles que se submetem ao tratamento, à maturidade, Nossa resposta deve ser a disposição em fazer o mesmo a outros: “De graça recebei, de graça dai” (Mt 10:8). Viver num constante estado de somente receber é, sem dúvida, um sinal de “infância prolongada” e pecado diante do Senhor: “Aquele que sabe fazer o bem e não faz, comete pecado” (Tg 4:17). Há uma necessidade clara de nos adequarmos à agenda de Deus. Ministros são aqueles que tem o claro objetivo de trabalhar a fim de apresentar a igreja como uma virgem pura para Cristo: “Quem dera me suportásseis um pouco na minha insensatez. Sim, suportai-me ainda. Estou zeloso de vós com zelo de Deus. Tenho-vos preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo” (II Co 11:1-2). Todo cristão tem o chamado para operar num ministério, seja oficial ou não. 

     Jesus ministrou na terra com total autoridade em todos os ministérios (leia por favor Hb 3:1; Jo 4:44; Jo 4:10; Jo 10:11; Jo 13:13). Ele é o Apóstolo, Profeta, Evangelista, Pastor e Mestre, por excelência! A vida dele em nós, e não nossos talentos, nos fará operar segundo à Sua vontade em direção ao Seu propósito, como seus ministros. Ministros têm autoridade, enquanto servem debaixo da Palavra do Comandante Supremo. Em latim, ministerium significa “aquele que tem ofício de servo”, na palavra em si, está contida a palavra “minor” que significa menor. A grandeza e autoridade de um ministro está em se tornar o menor de todos, aquele que se esforça para servir. “Não será assim entre vós, mas todo aquele que entre vós quiser ser grande, seja vosso servo, e qualquer que entre vós quiser ser primeiro, seja vosso servo, bem como o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e para dar a sua vida em resgate de muitos” (Mt 20:26-28). Ressalto que a palavra “servo” aqui é a mesma para ministro.

     Quanto de terra ainda está misturada com o ouro. Quanto de doutrina humana entrou e fez com que o ouro da manifestação da glória de Deus perdesse o valor. Um ofício tão lindo, tão importante, que atualmente tem sido tão negligenciado e mal interpretado. Sejamos honestos: Não é, de fato, a minoria que está disposta a servir à igreja? E quantos “ministros” não têm verdadeiramente demonstrado com suas vidas a realidade de serem os menores da casa? O Senhor está restaurando a identidade ministerial de sua igreja porque o tempo está próximo! O ministério sob o qual operamos, nada mais é do que a Vida dele em nós. Ele é o ministro que vive dentro de nós, e nos tornarmos participantes desta natureza, nos fará operar da mesma forma que Ele operou, em disponibilidade, humildade e simplicidade.

Pr Marcos Reis