Ester - Israel e o Reino - Virgem mais Excelente

               

                     ESTER – ISRAEL E O REINO – VIRGEM MAIS EXCELENTE

“Passadas essas coisas e apaziguado o furor do rei Assuero, lembrou-se ele de Vasti e do que fizera e do que tinha decretado a seu respeito. Então disseram os jovens do rei que o serviam: Busquem-se para o rei moças virgens e formosas. Ponha o rei comissários em todas as províncias do seu reino, que reúnam na fortaleza de Susã, todas as moças virgens e formosas, na casa das mulheres, sob o cuidado de Hegai, eunuco do rei, guarda das mulheres, e recebam elas tratamento de beleza. A moça que agradar ao rei reine em lugar de Vasti. Isso pareceu bem ao rei, e assim se fez” (Et 2:1,4)

     Vasti, a rainha, perdeu a coroa por não atender ao chamado do rei. Existia um propósito claro para a vida de Vasti e ela simplesmente recusou. O rei não desistiu dela, foi ela quem desistiu do seu chamado e consequentemente de uma vida em intimidade com ele. Não tenho dúvidas que a vida no reino dava muitas alegrias para Vasti, mas também trazia responsabilidades. Uma vida no reino não é uma vida de irrestrita alegria sem responsabilidades, ao contrário, no reino, nossas respostas são tão importantes quanto nossas perguntas. O rei sentiu falta da esposa, sentiu falta do relacionamento. Essa é, e sempre será, a busca incessante do rei: Procurar quem o adore em espírito e em verdade. O rei procura por intimidade.

     Então, de todas as 127 províncias do reino, foram reunidas, na fortaleza, todas as moças virgens e formosas. Elas ficaram com o eunuco do rei e receberiam tratamento de beleza. Foram doze meses de tratamento, seis meses mergulhadas na ardente mirra e seis meses cobertas de especiarias e perfumes (Et 2:12). Só depois disso poderiam ser levadas ao rei, quando, uma por uma, entravam em sua presença de manhã;  a que lhe fosse aprovada, seria chamada novamente pelo nome à tarde (Et 2:14). Hadassa, cujo nome significa, mulher de autoridade, era órfã, criada pelo seu tio Mordecai, da tribo de Benjamim; também era conhecida como Ester, cujo nome significa estrela, era uma das virgens chamadas. Uma mulher de grande autoridade nos céus, resumiria muito bem o propósito do nome dessa formosa virgem, que recebeu do rei “favor e aprovação mais que todas as outras virgens” (Et 2:17), sendo chamada pelo nome e escolhida para ser sua esposa.

     Ester é a figura da Esposa do Cordeiro. Esse relato histórico e tremendamente profético, nos ensina uma lição importantíssima: A Esposa não é somente virgem e formosa, mas é a mais excelente dentre todas elas! É de extrema importância que entendamos que, o Espírito Santo trabalha em estágios, sempre avançando em profundidade: Primeiro, Ele chama todos ao cumprimento do propósito, não somente Ester foi chamada, mas todas as virgens de todas as províncias. Essa é a maravilhosa graça redentora de um rei que nos ama e que nos quer ao seu lado. Em seguida, os chamados são edificados através do “tratamento de beleza”. Mergulhar na ardente mirra era um sofrimento, pois servia para tirar as impurezas da pele para que, somente depois disso, fosse derramada sobre ela, os perfumes e especiarias. Não há derramamento de perfumes e especiarias, sem que antes, sejamos mergulhados na mirra. Edificação não é somente um processo de receber coisas, ao contrário, sempre começa tirando, e é aí, que muitos vão ficando para trás. O trabalhar da cruz em nossas vidas nos preparando para o derramar do perfume de Cristo! Glorioso demais! Finalmente, a virgem era apresentada ao rei para reinar com Ele! De todas as virgens, a mais excelente! “Então deu o rei um grande banquete, em honra de Ester, a todos os seus príncipes e aos seus servos. Proclamou feriado por todas as províncias, e distribuiu presentes segundo a generosidade do rei” (Et 2:18). Todos, príncipes e servos, foram convidados ao banquete em honra da rainha e ganharam muitos presentes conforme a generosidade do rei. Sem dúvida uma tremenda benção dada aos convidados. Ao término da festa, todos foram para suas casas com muitos presentes, com exceção da esposa, a quem, unicamente, foi dado o direito da intimidade eterna com o rei. “Regozijemo-nos e alegremo-nos, e demos-lhe a glória! Pois são chegadas as bodas do Cordeiro, e já sua noive se aprontou. Foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, resplandecente e puro. O linho fino são os atos de justiça dos santos. E disse-me, escreve: Bem-aventurado aqueles que são chamados às bodas do Cordeiro. E disse-me: Essas palavras são as verdadeiras palavras de Deus”. Quem seremos nós nessa festa: Esposa ou convidados? Deus nos abençoe!

Pr Marcos Reis