Os sinais do Reino - Dá Dá

                                             OS SINAIS DO REINO - DÁ DÁ  

“A sanguessuga tem duas filhas: Dá, Dá.” (Pv 30:15)

     Trecho de uma carta escrita por uma missionária: “A graça e a paz do Senhor! Irmãos, ficamos muito felizes pelos kits que recebemos. Somente quem está nesta luta, aqui nessas regiões, sabe o quanto é difícil. E quando recebemos esses materiais para evangelização, somos muito motivados para continuar a obra de Deus. Quantas vezes tínhamos vontade de comprar folhetos e não tínhamos condições; pessoas que se convertem e não temos condições de doar uma Bíblia. Ah! Meu amado irmão, além de tantas dificuldades financeiras, eu amo muito missão! Estou vivendo aqui pela fé, estou morando a 1.000 Km da minha família. Gostaria muito de dar uma contribuição para essa missão, mas somente Deus sabe o momento que eu estou passando aqui, mas creio que amanhã, um novo dia pode amanhecer brilhando muito mais. Amado irmão, estou precisando muito de oração! Missionária do Estado de Pernambuco.

     Hoje se vive o risco de dois extremos no seio da igreja do Senhor: o primeiro é que uma boa parte dela é enganada por falsas promessas da teologia da prosperidade. Eles dizem: Todos têm que ser ricos, afinal todos são filhos de Deus, e Deus é o dono do ouro e da prata, e por aí vai. Mas o que é prosperidade? É ter muito para poder gastar somente para si? Ou é não ter falta de nada porque Ele é o Nosso Pastor? Alguns até deixam de estudar, trabalhar, e “esperam em Deus”. Alguns estão esperando há tanto tempo que acham que Deus não os amam mais, e então, um novo ciclo de feridas se abre. O que era uma ferida financeira passa a ser uma ferida emocional e espiritual. Uma tragédia sem fim. E para ficar rico, é claro, tem que ofertar, o que tem e o que não tem “pela fé” (já inventaram até o "trízimo", mas deixa pra lá). Alguns, infelizmente, só conhecem o evangelho da barganha (Eu dou para Deus para Deus me dar em dobro) e acabam caindo nessa, fisgados pela sua própria ganância em querer mais e mais. Há muitas marcas profundas em muita gente que precisam ser curadas para que possamos viver num nível diferente em Deus. A igreja brasileira precisa ser curada.

     O outro extremo é achar que a obra só é feita com oração e não também com ação. Por isso não participam fisicamente das necessidades do reino. Não vivem uma vida de fidelidade. Só dão a Deus as sobras. E, como a cada dia, sobra menos, menos se tem dado. O pior é que, ao mesmo tempo em que menos damos, mais esperamos de Deus. Vai entender isso? Definitivamente, os extremos são perigosos e estão levando muitos a uma vida muito aquém daquilo que Deus tem para os seus filhos. Precisamos entender de uma vez por todas que há tempo de orar e há tempo de agir. Não devemos agir, quando a ordem for para orar; mas também não devemos colocar na oração a nossa esperança, quando há uma ordem direta e clara para agir. Não se ora para ser fiel. Se toma uma posição e se cumpre.

     Esses dois extremos, na minha opinião, são as duas filhas da sanguessuga. Tanto dar com interesse de receber em dobro, como não dar por amor ao dinheiro e avareza, tem em si, uma mesma causa: O foco em si mesmo.

     Oremos para que possamos ser curados nessa área e avançar na obra de Deus, sendo um instrumento de ajuda aos pobres, necessitados, viúvas, desempregados, missionários. Uma igreja que entende que evangelho não é só culto dentro do templo, mas a manifestação do reino do lado de fora. Se não podemos fazer, pela falta de tempo, pelo menos que nos envolvamos em oração e que os nossos recursos ajudem a fazer. Deus nos abençoe!  

Pr Marcos Reis