Justiça e Juízo - A Ele a Glória

                                               JUSTIÇA E JUÍZO - A ELE A GLÓRIA 

"Porque dele, por ele e para ele são todas as coisas. Glória pois a ele eternamente. Amém". (Rm 11:36)

     Vivemos numa geração que verá o Senhor colocando as coisas em ordem. Há um mover de Deus nos céus; a terra vai testemunhar o estabelecimento do reino dos céus, a manifestação da glória de Deus. Temos certeza de que nossa geração é a geração que verá um mover maravilhoso de justiça, e como estamos falando, também de juízo. Há um padrão de Deus em suas visitações: o juízo vem sempre acompanhado da manifestação da justiça. Jamais Deus ficou sem um remanescente na Terra. 

     Temos falado de um tempo de santidade, separação; e também de realização das obras de Deus por seus filhos. A luz precisa brilhar nesse mundo em trevas; o sal precisa salgar. Somos, como igreja, a solução para esse mundo em crise; se não para resolver os problemas, pelo menos, para apontar a direção: Cristo. Esta é a geração sacerdotal que apontará para o Rei. Cristo está tomando o seu lugar em sua igreja. Ele não divide a sua glória com ninguém. O levantar dessa geração é um levantar histórico e sem precedentes: um povo se levanta entendendo a centralidade de Cristo em suas vidas, propósitos e ministérios. Não haverá mais espaço para a glória humana; todos os bezerros de ouro serão derretidos e nossa geração estabelecerá, pelo poder do Espírito, um nível de adoração e comunhão tremendo com o Pai. É a geração que se levantará em silêncio; sem aplausos, mas com o poder do Espírito. É a geração que entenderá a diferença entre o terreno e o celestial. Entre a areia e o ouro.

     Muito da "obra de Deus" que vemos hoje ser feita, infelizmente, carrega um peso de glória humana. Entende-se que Deus faz, mas, a impressão é que, sempre "sobra" um pouco para aqueles que estão participando. O que entendemos é que absolutamente NADA deve ser atribuído ao homem. Não deve nem passar pela nossa cabeça que temos algum mérito em fazer qualquer coisa no reino dos céus. E, não nos espantemos: Deus nos mandou fazer coisas em seu nome e debaixo de sua autoridade. A igreja de Cristo é o seu corpo na Terra. O poder que opera em nós é o poder do Espírito Santo, e sem esse poder, não somos mais que pobres e miseráveis homens. Pensamos que o Senhor não tem se agradado de como se tem feito muitas coisas em seu nome. Homens não podem receber glória ou a honra devida unicamente ao Seu Nome. Não há espaço no reino para a idolatria a homens. Definitivamente isso desagrada ao Senhor, fere o principio do sacerdócio universal. A igreja não é composta por super humanos. Os ministérios são presentes para a igreja e não o contrário. 

     O poder de Deus em nós é a certeza de que Deus está fazendo, e fará ainda mais, grandes coisas. Mas antes, Ele precisa separar o que é dele e o que é do homem; o que é terreno, e o que é celestial. A Ele, somente a Ele, é toda a glória. Veremos o levantar de um remanescente fiel ao Senhor, que treme diante da sua Palavra. Esse remanescente saberá que os seus dons são para beneficio de outros. Tudo o que Deus nos dá, precisamos entender, não é para nós, mas para os outros. O mistério é que, à medida que repartimos, recebemos, para continuarmos repartindo, e assim por diante. Isto é um segredo: se não focamos os outros, veremos o derramar de Deus em nossas vidas, simplesmente parar. Esta é, infelizmente, a realidade de boa parte das manifestações atuais, todavia, esperamos e ansiamos por um acordar do seu povo para cumprimento do seu glorioso propósito. 

     Tudo do Senhor já está dentro de nós. O nosso "eu" precisa sair da frente para que Ele opere. Depois da ressurreição de Cristo, somos a geração do reino dos céus: não mais apontamos para um Cristo "fora de nós", mas para um Cristo que "vive em nós". Quando nos levantamos para expressar esse Cristo, a despeito das nossas imperfeições e limitações, manifestamos a glória de Deus na terra. Uma vez manifestada a glória de Deus, todos poderão receber a justiça de Deus e também seu juízo. 

     "Não a nós Senhor, não a nós, mas ao Teu Nome, dá glória, por causa do teu amor e da tua fidelidade" (Sl 115:1). Não nos esqueçamos: o tempo é de retornar à centralidade de tudo ao Senhor Jesus. Somente a Ele a glória! Eternamente. Deus nos abençoe. 

Pr Marcos Reis