O Rei Está Voltando - As Vestes do Banquete

                              O REI ESTÁ VOLTANDO - AS VESTES DO BANQUETE

“Regozijemos e  exultemos, e demos-lhe a glória! Pois são chegadas as bodas do Cordeiro, e já sua noiva se aprontou. Foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, resplandecente e puro. O linho fino são os atos de justiça dos santos (Ap 19:8)

“E, saindo os servos pelos caminhos, ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus quanto bons, e a sala de banquetes se encheu de convidados. Quando, porém, o rei entrou para ver os convidados, notou um homem que não estava vestido com roupas de núpcias. Perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem roupas nupciais¿ Ele ficou calado, Disse então o rei aos servos: Amarrai-o, os pés e as mãos, e lançai-o para fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes. Pois muitos são chamados e poucos são escolhidos.” (Mt 22:10-14)

     Nós somos alcançados pela graça de Deus! A graça é um favor imerecido. Nada que façamos de bom ou até mesmo de ruim, nos habilita ou nos desabilita a entrar na festa que Ele tem preparado para aqueles que o amam! Era costume, em algumas partes do Oriente, prover os convidados dos reis com algum tipo simples de roupa longa, para garantir, assim, que todos os presentes ficassem com aparência uniforme, tudo isso numa “sala de banquete”, uma espécie de aposento anterior ao salão da grande festa. Todos deveriam passar por esta sala e vestir as vestes e assim entrar na festa. Os bons e os maus, então foram “igualados” não por seus atributos, mas pela veste nupcial que vestiram.

     Assim somos nós. Sendo maus, não somos rejeitados por Ele; sendo bons, somos conscientes que não é a nossa bondade que nos faz ser convidados. A sala do banquete é para todos, os bons e os maus são igualados pelas vestes que o Rei nos dá.

     Amados, não nos deixemos enganar: a graça precisa ser acompanhada da responsabilidade. As vestes nos são dadas, porém precisamos vesti-las. Somente o vestir das vestes fará com que a nossa “maldade” seja escondida ou a nossa “bondade” fique em segundo plano. Não vestir as vestes é não estar apto a entrar na sala principal desse banquete maravilhoso. É não estar apto a adentrar à festa que nos está preparada. É triste ver o quanto muitos de nós têm parado apenas no convite! Contentes apenas em ser chamados e não escolhidos. O Rei sempre irá revistar a sala do banquete e assim transformar chamados em escolhidos!

     Ele nos deu as vestes de salvação: “Eu me regozijo muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus. Pois Ele me cobriu com vestes de salvação, e me envolveu com o manto de retidão, como o noivo que se adorna com um turbante, e como a noiva que se enfeita com suas jóias.” (Is 61:10). Recebemos as vestes de salvação, agora precisamos vestir o linho fino, que são os atos de justiça dos santos! A santidade, a vida em verdade diante de Deus, depois de convidados, precisa ser expressa por nós.

     Se você ainda não é um cristão, entenda, Jesus, por amor, convida maus e bons. Tem lugar para você nessa festa! Independente do seu pecado e a despeito de suas qualidades. A graça nos conviou. Se você já é um cristão, entenda, que a graça te chamou, e a responsabilidade em vestir as vestes é o que vai determinar se você estará dentro ou fora da festa, do reino! Deus nos abençoe.

Pr Marcos Reis