A vitória sobre o EU: A conquista do Reino

                                          A VITÓRIA SOBRE O EU:  A CONQUISTA DO REINO

 

“Quando o Senhor, o seu Deus, os fizer entrar na terra, para a qual vocês estão indo para dela tomar posse, ele expulsará de diante de vocês muitas nações: os heteus, os girgaseus, os amorreus, os cananeus, os ferezeus, os heveus e os jebuseus. São sete nações, maiores e mais fortes do que vocês; e quando o Senhor seu Deus as tiver entregue a vocês, e vocês as tiverem derrotado, então vocês as destruirão totalmente. Não façam com elas tratado algum, e não tenham piedade delas. Não se casem com pessoas de lá. Não dêem suas filhas aos filhos delas, nem tomem as filhas delas para os seus filhos, pois elas desviariam seus filhos de seguir-me para servir a outros deuses e, por causa disso, a ira do Senhor se acenderia contra vocês e rapidamente os destruiria. Assim vocês tratarão essas nações: Derrubem os seus altares, quebrem as suas colunas sagradas, cortem os seus postes sagrados e queimem os seus ídolos. Pois vocês são um povo santo para o Senhor, o seu Deus. O Senhor, o seu Deus, os escolheu dentre todos os povos da face da terra para ser o seu povo, o seu tesouro pessoal”. (Dt7:1-6)

     Algumas figuras no VT ajudam de forma muito clara alcançar o entendimento do propósito eterno do Senhor em nossas vidas. Um dos muitos exemplos é a saída do povo de Israel do Egito. É um acontecimento histórico do povo de Israel, e também, algo que serve muito claro de aviso para os santos em Cristo (I Co 10:1-6; Hb 4:1-3). Sem dúvida alguma o VT é um mistério que é revelado pelo NT, em Cristo.    

     Quando o povo saiu do Egito, Faraó, o seu rei, aprisionava o povo de Deus. Deus libertou o seu povo do Egito, libertou o seu povo da opressão de Faraó. Da mesma forma, somos livres do mundo, do império das trevas, das garras do inimigo, para um início de caminhada com Deus. Faraó é uma figura do inimigo de nossas almas; um inimigo que é derrotado pelo poder do Deus Todo Poderoso. O povo então, caminha pelo deserto, experimentando de Cristo, como diz o apóstolo Paulo: “Todos comeram da mesma comida espiritual, e beberam da mesma bebida espiritual, pois bebiam da pedra espiritual que os seguia, e a pedra era Cristo (I Co 10:3-4). O ponto crucial é que mesmo tendo saído do Egito, eles não venceram o deserto, ainda que estivessem bebendo e comendo de Cristo. Somente isso já deveria ser suficiente para entendermos a necessidade de cumprir toda a carreira e não se satisfazer em “apenas” um dia “ter aceitado” Jesus como Salvador.

     O diabo, o nosso adversário, foi vencido na cruz do Calvário há 2.000 anos atrás! O maligno não pode tocar naquele que verdadeiramente está em Cristo Jesus: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus, não vive pecando, antes o guarda Aquele que nasceu de Deus, e o maligno não lhe toca” (I Jo 5:18). Assim como Faraó foi vencido sem intervenção humana, Satanás foi derrotado na cruz do Calvário por Jesus Cristo. Entretanto, assim como o povo de Israel precisava vencer o deserto e conquistar a terra, matando os seus gigantes que nela habitava; assim também, a igreja do Senhor, precisa vencer os inimigos que não querem que tomemos posse da promessa do Senhor, o seu propósito eterno. Os moradores da terra, alguns gigantes, deveriam ser exterminados totalmente. Não era permitido fazer alianças com os moradores da terra. Entendemos, claramente, que os moradores da terra, são a figura da nossa carne. Nossa carne, nossos desejos e vontades pessoais, sejam elas boas ou más, precisam ser vencidas, derrotadas, para que alcancemos o propósito do reino! Infelizmente, muitos hoje, não tem vencido o poder da carne, a força das obras humanas. Sem vencê-las, será impossível tomar posse da herança que nos está preparada desde a eternidade.

     Vencer a carne! Vencer o “eu”! Deixar os desejos e vontades da alma serem submetidos ao governo do espírito que se enche do Espírito de Deus. Nosso maior inimigo é o que habita dentro da nossa própria casa. Não subestimemos o diabo e seus ardis, mas entendamos que o poder do sangue o derrotou completamente, e se ele age hoje, tocando naquele em que não deveria tocar, é porque a nossa carne está dando tal autoridade. A guerra contra Satanás é vencida crendo no sacrifício de Cristo; a guerra contra a carne é vencida com a nossa cruz “tomada dia após dia”.

         Davi venceu Golias com uma aljava com cinco pedras; porém teve que lutar contra a Casa de Saul muito tempo: A guerra entre a casa de Saul e de Davi, durou muito tempo. Davi ia-se fortalecendo; mas os da casa de Saul iam-se enfraquecendo”. (II Sm 3:1). Golias é a figura do inimigo, que cai quase que instantaneamente, porém, a Casa de Saul, é a figura de um reino que quer se estabelecer com o poder da carne, dando o melhor de si para Deus, ao invés de receber de Deus para o devolver. Contra esse inimigo, a guerra é longa. A carne se enfraquecerá à exata medida em que o espírito se fortificar. Deus os abençoe.

Pr Marcos Reis